Pollyana – a alegria de ser otimista – sua importância nos dias de hoje

 

 

Informaçõe sobre o livro ” Pollyana” (Menina)

Autora: Eleonora H. Porter – 1868 – 1920

O título refere-se à protagonista, Pollyanna Whittier, uma jovem órfã que vai viver em Beldingsville, Vermont com sua única tia viva, tia Polly. A filosofia de vida de Pollyanna é centrada no que ela chama “o Jogo do Contente”, uma atitude otimista que aprendeu com o pai. Esse jogo consiste em encontrar algo para se estar contente, em qualquer situação por que passemos. Isso se originou com um incidente num Natal, quando Pollyanna, que estava achando que ia ganhar uma linda boneca, acabou recebendo um par de muletas. Imediatamente o pai de Pollyanna aplicou o jogo, dizendo a ela para ver somente o lado bom dos acontecimentos — nesse caso, ficar contente porque “nós não precisamos delas!”.

Com essa filosofia, aliada a uma personalidade radiante e uma alma sincera e simpática, compassiva, Pollyanna leva muita alegria e contentamento à sombria e triste propriedade da tia, que transforma em um lugar maravilhoso para se viver. O “jogo do contente” protege-a também das atitudes severas e desaprovadoras de sua tia: quando tia Polly a colocou num sótão abafado, sem tapetes ou quadros, ela exultou com a bela vista que se descortinava daquela altura; quando tentou punir sua sobrinha por estar atrasada para o jantar, dizendo que só iria comer pão e leite, na cozinha, com a cozinheira, Nancy, Pollyanna agradeceu-lhe efusivamente, porque ela gostava de pão e leite, e também gostava de Nancy.

Em breve, Pollyanna ensina a alguns dos mais problemáticos habitantes de Beldingsville a ‘jogar o jogo do contente’, desde uma inválida queixosa chamada Mrs Snow até um solteirão, Mr Pendleton, que vivia sozinho em uma mansão. Até tia Polly – achando-se sem saída diante da animada recusa de Pollyanna de ficar triste e cabisbaixa – aos poucos começa a se tornar mais simpática e amigável, muito embora resista ao jogo do contente mais tempo do que qualquer outra pessoa.

Fonte: Wikipedia

 

Comentários de Rosi Mattos

O que faz de Pollyana um clássico aclamado até hoje?

O tema em questão, o otimismo de uma menina, diante das adversidades da vida, do cercear de seus objetivos por fatos que poderiam sim, fugir ao seu  “estar no mundo” infantil.

Quando ela entra no mundo daquelas pessoas, já adultas e cada uma com seu pensar tão “certo” e taciturno, sem um colorido especial, Pollyana traz para eles, nuances de felicidade, ou seja, ela vai até o mundo deles, e não espera que eles façam a felicidade dela…O caráter de Pollyana  transcedeu através dos anos, não só por ser um personagem carismático e cativante. Mas, pelo conteúdo puro, palpável, efetivo e comprovatório da grande diferença que faz o fato de uma pessoa enfrentar a vida com otimismo.

QUEM QUER VER UM SORRISO, DEVE ELE MESMO SORRIR

 

Rosi Mattos

em 02 de dezembro de 2011

 

 

 

 

 

 

I

 

Anúncios

2 respostas em “Pollyana – a alegria de ser otimista – sua importância nos dias de hoje

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s