POEMAS

Imagem

 Minha música predileta:

 

Estou deixando umas imagens lindas para todos!! e poemas também!!!

Se eu tivesse uma vendinha  feita de uma única sala,  gostaria de  vender sabes o quê? A esperança.
— Gianni Rodari

PARA  UMA BOA NOITE:

“Boa noite e bom descanso,
O céu é um manto de estrelas precioso,
A lua brilha de luz prateada,
Desejo a todos uma noite de fada. ” 

Na vida é preciso ter três coisas:

A humildade de não se sentir superior a ninguém.
A coragem para lidar com cada situação e a determinação de continuar lutando, a cada dia!!

A noite é para os espíritos corajosos, para aqueles que não têm medo de olhar para além do céu órfão de sol aquelas coisas que, à semelhança dos astros dispersos no escuro, lançam luz nos recantos mais profundos da alma. (G. Pannia)

O que eu amo? As sintonias.
O que defendo? A igualdade de oportunidades.
O que receio? Os lances sinistros da vida.
O que considero imperdoável? Os reviravolta das pessoas. (G. Pannia)

Os meus sonhos são pirilampos, pérolas de um coração ardente. Nas trevas calmas da noite piscam em fragmentos de luz. Rabindranath Tagore.

poemapássaros

Há sonhos tão luminosos que conseguem dar luz a toda a noite, são os sonhos que esperamos apenas durante o luar, são aqueles que quando se realizam iluminam toda uma vida. Rita Web

POEMA DIA 15 DE FEVEREIRO

O que é para mim a noite? Somente o local tranquilo em que sonhos, esperanças, premonições, astros, almas terrenas e celestiais se encontram, se fundem, trocam conhecimentos, jogam à descoberta do eterno significado e, por último, adormecem sonhando com o novo dia. (G. Pannia)

poemass4444

Desejo de coisas leves… No coração… Antonia Poços

Pollyana – a alegria de ser otimista – sua importância nos dias de hoje

Imagem

 

 

Informaçõe sobre o livro ” Pollyana” (Menina)

Autora: Eleonora H. Porter – 1868 – 1920

O título refere-se à protagonista, Pollyanna Whittier, uma jovem órfã que vai viver em Beldingsville, Vermont com sua única tia viva, tia Polly. A filosofia de vida de Pollyanna é centrada no que ela chama “o Jogo do Contente”, uma atitude otimista que aprendeu com o pai. Esse jogo consiste em encontrar algo para se estar contente, em qualquer situação por que passemos. Isso se originou com um incidente num Natal, quando Pollyanna, que estava achando que ia ganhar uma linda boneca, acabou recebendo um par de muletas. Imediatamente o pai de Pollyanna aplicou o jogo, dizendo a ela para ver somente o lado bom dos acontecimentos — nesse caso, ficar contente porque “nós não precisamos delas!”.

Com essa filosofia, aliada a uma personalidade radiante e uma alma sincera e simpática, compassiva, Pollyanna leva muita alegria e contentamento à sombria e triste propriedade da tia, que transforma em um lugar maravilhoso para se viver. O “jogo do contente” protege-a também das atitudes severas e desaprovadoras de sua tia: quando tia Polly a colocou num sótão abafado, sem tapetes ou quadros, ela exultou com a bela vista que se descortinava daquela altura; quando tentou punir sua sobrinha por estar atrasada para o jantar, dizendo que só iria comer pão e leite, na cozinha, com a cozinheira, Nancy, Pollyanna agradeceu-lhe efusivamente, porque ela gostava de pão e leite, e também gostava de Nancy.

Em breve, Pollyanna ensina a alguns dos mais problemáticos habitantes de Beldingsville a ‘jogar o jogo do contente’, desde uma inválida queixosa chamada Mrs Snow até um solteirão, Mr Pendleton, que vivia sozinho em uma mansão. Até tia Polly – achando-se sem saída diante da animada recusa de Pollyanna de ficar triste e cabisbaixa – aos poucos começa a se tornar mais simpática e amigável, muito embora resista ao jogo do contente mais tempo do que qualquer outra pessoa.

Fonte: Wikipedia

 

Comentários de Rosi Mattos

O que faz de Pollyana um clássico aclamado até hoje?

O tema em questão, o otimismo de uma menina, diante das adversidades da vida, do cercear de seus objetivos por fatos que poderiam sim, fugir ao seu  “estar no mundo” infantil.

Quando ela entra no mundo daquelas pessoas, já adultas e cada uma com seu pensar tão “certo” e taciturno, sem um colorido especial, Pollyana traz para eles, nuances de felicidade, ou seja, ela vai até o mundo deles, e não espera que eles façam a felicidade dela…O caráter de Pollyana  transcedeu através dos anos, não só por ser um personagem carismático e cativante. Mas, pelo conteúdo puro, palpável, efetivo e comprovatório da grande diferença que faz o fato de uma pessoa enfrentar a vida com otimismo.

QUEM QUER VER UM SORRISO, DEVE ELE MESMO SORRIR

 

Rosi Mattos

em 02 de dezembro de 2011

 

 

 

 

 

 

I